Cerca de 3.000 pessoas manifestaram-se este sábado em São Paulo, no Brasil, contra a reeleição, no domingo, de Dilma Rousseff como Presidente brasileira, que consideram uma fraude e um processo que legitimou a corrupção no país.

Os manifestantes, convocados através das redes sociais, por diferentes organizações, principalmente grupos de direita, reuniram-se em frente ao Museu de Arte de São Paulo e desceram a avenida Paulista, a artéria mais emblemática da cidade e palco de protestos frequentes.

Nos cartazes empunhados pelos manifestantes exigia-se a destituição do governo do Partido dos Trabalhadores (PT), que acusavam de ter montado uma teia de corrupção, noticia a Efe.