O tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), da Presidente brasileira, Dilma Rousseff, foi levado esta quinta-feira para depor sobre os supostos desvios de dinheiro na Petrobras, numa nova fase da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

João Vaccari Neto estava em São Paulo e foi alvo de um mandado de condução coerciva às autoridades (quando uma pessoa é levada para depor e depois é libertada) e de busca e apreensão em sua casa. O tesoureiro foi citado em depoimentos de ex-diretores da Petrobras como o operador da propina cobrada pelo PT.

Esta nona etapa da Operação Lava Jato emitiu 62 mandados: três de prisões temporárias, um de prisão preventiva, 18 de conduções coercivas e 40 de busca e apreensão, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Baía e Santa Catarina.