O Supremo Tribunal brasileiro decidiu, esta quinta-feira, nular o atual processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff, obrigando o Congresso a reiniciar todo o procedimento a partir do zero.

A decisão, aprovada por oito votos contra três, anulou a comissão para a destituição da Presidente, que tinha sido estabelecida por votação secreta na câmara baixa do Congresso e era dominada pela oposição.

Agora, a palavra final sobre a abertura de um procedimento para a destituição de Rousseff foi dada ao Senado, onde a Presidente tem mais apoio.