Dos oitenta senadores brasileiros que votam a abertura do processo de ‘impeachment' (destituição) da Presidente, Dilma Rousseff, 47 têm processos pendentes na justiça.

Segundo a Organização Não Governamental (ONG) Transparência Brasil, mais de 60% do Senado (Câmara alta) tem contas pendentes na justiça brasileira. O Senado conta com 81 eleitos, mas um dos eleitos, Delcídio do Amaral, perdeu o mandato na terça-feira mas ainda ainda não foi substituído.

Vinte e quatro senadores são investigados em inquéritos que correm no Supremo Tribunal Federal (STF), sendo que cinco deles também são réus em ações penais abertas naquele mesmo órgão.