Os serviços de segurança do Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro descobriram um dispositivo de escuta no gabinete do juiz responsável pelo processo de impeachment (destituição) da Presidente Dilma Rousseff, temporariamente suspensa.

A informação foi confirmada, segundo a imprensa brasileira, pela assessoria do STF, que inicialmente disse tratar-se de uma escuta telefónica.

O aparelho foi encontrado, há cerca de duas semanas, durante uma limpeza de rotina feita por funcionários da instituição numa caixa de tomadas elétricas embutida no chão por baixo da mesa do juiz Luís Roberto Barroso.

Estava desativado e, por isso, ainda não há informações sobre a possibilidade de terem sido intercetadas conversas.

A escuta está a ser analisada pelos serviços de segurança e foi aberto já um inquérito interno.

Periodicamente, são realizadas 'limpezas' aos gabinetes, até porque não é a primeira vez que surgem indícios de espionagem neste tribunal.

Luís Roberto Barroso foi relator do acórdão do processo de destituição, o texto com o resultado do julgamento que fixou os trâmites do pedido de afastamento de Dilma Rousseff.

O juiz do Supremo é também o relator da execução das penas dos condenados no processo Mensalão.