Milhares de pessoas já estão a participar nos protestos convocados para hoje, através das redes sociais na Internet, em várias cidades do Brasil, de acordo com a imprensa brasileira.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, na sua versão online, os manifestantes já estão nas ruas em cidades como Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte, Salvador, Brasília e, até ao momento, os protestos estão a ser pacíficos.

Em Brasília, segundo a polícia militar, citada pela imprensa, já estão concentradas 25 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios, informou a Globo News.

No Rio de Janeiro, as avenidas e o «calçadão» da orla estão a ser tomados, pouco a pouco, por manifestantes. Neste momento, os manifestantes seriam cerca de cinco mil, na praia de Copacabana, segundo a polícia, e 15 mil, segundo os organizadores da manifestação.

Em São Paulo, a concentração está programada para as 14:00 locais (17:00, em Lisboa), na avenida Paulista, o centro económico do país.

As manifestações têm uma «agenda» extensa e diversificada, devido aos diferentes grupos participantes.

Há críticas à corrupção, à má situação económica brasileira, à inflação, à ideologia do Partido dos Trabalhadores (chamado por alguns grupos conservadores como «comunista» e «bolivariano») e até pedidos de «impeachment» - para a impugnação de mandato da Presidente brasileira, Dilma Rousseff.

Existem três grupos que se destacam, nas redes sociais, na organização do protesto que são o Movimento Brasil Livre e o Revoltados Online, que pedem a impugnação de mandato de Rousseff.

Há ainda o grupo Vem para a Rua, mais moderado, que se opõe à impugnação imediata do mandato presidencial e reivindica «ética na política e um Estado eficiente» e «mais magro», em termos de estruturas.