A divisão política no Brasil chegou este domingo aos palcos e aos estádios de futebol: em Belo Horizonte, um espectáculo musical foi encerrado depois de uma improvisação de um ator e, no Rio de Janeiro, no ‘derby’ Fla-Flu, os adeptos gritaram palavras de ordem políticas.

A crise política, com um processo em curso de destituição da Presidente, Dilma Rousseff, e suspeitas de corrupção sobre o seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, está a dividir o país e a estender a tensão a outros quadrantes da sociedade brasileira.

Sábado à noite, o produtor e ator Claudio Botelho encenava a peça musical "Todos os musicais Chico Buarque 90 minutos", com músicas compositor brasileiro, e fez intervenções políticas no meio da apresentação, para demonstrar o seu apoio à destituição (impeachment) da Presidente.

O Brasil vive momentos de grande tensão. Na semana passada a imprensa brasileira divulgou escutas telefónicas entre Lula da Silva e Dilma Rousseff que sugerem que a Presidente terá tentado travar detenção de Lula. Dilma diz que encarregou o subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil de entregar a Lula o termo de posse como ministro. Um documento que poderia ser mostrado às autoridades para evitar a eventual detenção do ex-presidente.

Dilma convidou mesmo Lula para um cargo no governo. Houve uma primeira providência cautelar que suspendeu a nomeação do ex-presidente do Brasil. Depois essa decisão foi anulada, Lula tomou posse como ministro, mas por pouco tempo pois uma segunda providência cautelar voltou a suspender Lula do cargo de governante.