Os diamantes podem bem ser os melhores amigos das mulheres, como diz a música, mas, haverá mulheres dispostas a dar 63 milhões de dólares (mais de 53 milhões de euros) por uma pedra preciosa? Isso, fica no segredo dos deuses,  porque o nome de quem – homem ou mulher – que arrecadou, em leilão, um diamante de 813 quilates, não foi revelado, como noticia a AFP.

Nunca um diamante em bruto havia alcançado um preço tão alto, anunciou a empresa de extração de minérios canadiana, Lucara Diamonds, em comunicado emitido na Suécia, já que é lá que a empresa é cotada em bolsa.

A pedra, encontrada no Botswana, foi batizada de “Constelação”. E o céu parece ser mesmo o limite para esta empresa, que está a passar por um bom momento. Em junho prepara-se para leiloar outro diamante.

A “Constelação” pode ter rendido mais de 50 milhões de euros, mas pode ser só o aquecimento para o prémio maior. Um outro diamante, descoberto no ano passado na mesma mina do Botswana, tem  1.109 quilates. "Lesedi La Rona”, nas fotos, vai a leilão no dia 29 de junho, em Londres.

Depois do preço alcançado pela “Constelação”, a “Lesedi la Rona” deve render mais de 70 milhões de dólares (acima de 60 milhões de euros). Afinal,”é o maior diamante descoberto em mais de cem anos”, de acordo com David Bennett, da leiloeira, Sotheby’s, em declarações à AFP.