Cerca de 18 milhões de euros foi o valor alcançado quarta-feira durante um leilão pela venda de um «diamante azul raro» que foi propriedade da realeza alemã durante várias gerações.

Trata-se de um valor inédito uma vez que nunca nenhuma pedra preciosa havia sido vendida por uma quantia tão elevada.

Segundo a leiloeira Christies, «a peça foi arrebatada por Lawrence Graff, um multimilionário que negoceia diamantes».

O diamante, o Wittelsbach Diamond, tem 35,56 quilates em forma de gema. Segundo a porta-voz da Christies, Alexandra Kindermann, «a pedra foi vendida por um valor duas vezes superior àquele que estava previsto».

A história do Diamante começa em Espanha no século XVII. Nessa altura. foi comprado pelo rei Filipe IV e incluído no dote de casamento da sua filha, a Infanta Margarita Teresa que casou com o rei Leopoldo I da Áustria.

A Infanta morreu pouco depois do casamento, contudo, o diamante permaneceu na posse do rei da Áustria e de vários monarcas que se lhe seguiram na sucessão do trono.

Wittelsbach foi o nome atribuído à pedra preciosa em 1722 quando a neta de Leopoldo I casou com Carlos da Baviera (região da Alemanha), um membro da família Wittelsbach.