James Robertson, o homem de 56 anos que caminhava cerca de 30 quilómetros diariamente para ir trabalhar, recebeu ameaças de morte e deixou a casa onde vivia há de 15 anos com a namorada, Tanya Fox, em Detroit.

O homem não se sentia seguro na localidade onde vivia e tinha receio que o Ford Taurus, recebido há cerca de duas semanas, fosse vandalizado ou roubado. Robertson guardava o carro num parque de estacionamento da polícia, mas mesmo assim não se sentia seguro. 

«Eu queria acabar com isto. Há tantos fatores envolvidos.», afirma James Robertson.

Segundo o «Detroit Free Press», a polícia declarou que «as pessoas perto de James faziam constantemente pedidos de dinheiro» e os colegas de casa ameaçavam-no constantemente com violência.

«Tivemos uma reunião com ele e ele disse que não se sentia seguro», notificou o chefe da polícia de Detroit, Aric Tosqui.


Robertson foi ajudado pelas autoridades a encontrar um alojamento temporário. Está agora à espera de receber os 350 mil dólares (cerca de 307 mil euros) angariados por um estudante, para se poder encontrar com consultores financeiros e encontrar um lugar seguro para viver.

A decisão de deixar a vizinhança poderá também ter sido influenciada por um caso que aconteceu em dezembro do ano passado. Um homem aposentado, de 86 anos, foi ameaçado de morte e esteve desaparecido durante três dias depois de ganhar a lotaria de 20 mil dólares (18 mil euros).