Cinco estudantes foram presos depois de terem usado a saudação com o braço e apenas três dedos levantados popularizada pela saga «The Hunger Games» (Os Jogos da Fome) - símbolo da rebelião contra o totalitarismo - em frente ao primeiro-ministro, na Tailândia. Os jovens foram acusados de violar a lei marcial.

O incidente aconteceu numa cerimónia no norte do país, na província de Khon Kaen, onde o primeiro-ministro Prayuth Chan-ocha discursava à população. Segundo Phavinee Chumsri, um advogado tailandês especialista em Direitos Humanos, os jovens vestiam camisolas onde se lia «Não quero um golpe militar».

O advogado garantiu à CNN que os estudantes foram detidos e levados para uma prisão do exército, onde recusaram assinar um acordo que os obrigava a não poder participar em atividades políticas ou ativistas.

Foram libertados depois de terem estado detidos durante oito horas, mas na condição de voltarem às instalações militares por terem sido acusados de violar a lei marcial.

A Tailândia vive um regime militar desde o golpe de estado perpetrado a 22 de maio, que resultou na implementação de uma séria de medidas para alegadamente restaurar a ordem e resolver a crise, onde se inclui a censura a vários órgãos de comunicação social, o recolher obrigatório e expulsões da assembleia.

Porém, e apesar das medidas do governo, muitos tailandeses têm-se manifestado contra estas políticas e contra o próprio regime.

No caso dos jovens, é frequente a utilização de referências da cultura pop para veicular mensagens de protesto nas redes sociais. O gesto usado nos filmes «The Hunger Games» (Os Jogos da Fome) são na saga um símbolo de revolução dos que se opõem ao regime tirano e, de acordo com a imprensa da Tailândia, tem sido muito usado pelos manifestantes.