A polícia francesa já deteve 16 pessoas na área metropolitana de Paris, por ligações a grupos extremistas, desde domingo. Em comunicado, a polícia informou ainda que foram feitas 104 rusgas na capital francesa e seis armas de fogo foram apreendidas, no âmbito destas operações.

No mesmo comunicado, divulgado esta terça-feira, as autoridades esclareceram que as detenções e as rusgas têm como alvo "pessoas, armas e objetos susceptíveis de estarem ligados a atividades de natureza terrorista".

França não dá tréguas na busca pelos autores dos atentados que abalaram a capital francesa, na sexta-feira, provocando 129 mortos.

Só na madrugada desta terça feira, as forças francesas realizaram 128 rusgas, em diversos pontos do país . Isto depois de na segunda-feira terem sido efetuadas 168 buscas.

Ontem, 23 pessoas foram detidas e foram apreendidas 31 armas, incluindo um lança-foguetes, no âmbito das operações policiais.

Esta terça-feira, novas informações dão conta que Salah Abdeslam, suspeito de envolvimento nos ataques e que está em fuga,  pode estar na Alemanha. Duas mulheres e um homem foram, de resto, detidos perto da cidade alemã de Aachen.

Entretanto, o país já avisou Bruxelas que primeiro está a segurança interna e só depois o défice. O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, sublinhou que a necessidade de investir em segurança justifica o incumprimento das metas da zona euro. O governante quer contratar mais de 10 mil polícias e reforçar vários setores ligados à segurança.