Seis presumíveis membros de uma célula do grupo extremista Estado Islâmico foram detidos esta quarta-feira em Espanha, Alemanha e Reino Unido. A informação foi anunciada pelo Ministério do Interior espanhol.

Em comunicado, o ministério indicou que a célula, que tinha ramificações internacionais, elaborava e difundia material audiovisual radical e organizava reuniões semanais clandestinas para determinar a vontade de jovens que se identificavam com os seus ideais. O objetivo era conseguir que os jovens viajassem para as zonas de conflito.

Os detidos – quatro em Palma de Maiorca (Espanha), que seria a sede da célula, um na Alemanha e outro no Reino Unido – justificavam e enalteciam a ‘jihad’ violenta, apoiando publicamente atos suicidas semelhantes aos perpetrados na Europa.

A investigação foi iniciada em 2015, quando foram detetados, numa página na Internet, uma série de vídeos que mostravam o processo de doutrinamento, recrutamento e viagem para a Síria de um jovem muçulmano residente em Espanha.