De acordo com o jornal “The Independent”, os seguranças foram chamados ao aparelho pelas 08:00 devido à presença de um homem que estava a iniciar uma discussão por causa da bagagem.

O passageiro tinha uma mala de cabine e um saco a tiracolo, e recusava-se a entregar uma delas, de acordo com as políticas da aérea low-cost. Mesmo após embarcar, o comportamento do homem tornou-se cada vez mais abusivo, o que levou os tripulantes do avião a chamar a polícia.

O homem, de 37 anos, acabou por ser eletrocutado com um “taser”, detido pela polícia do Sussex, que entrou no avião para o retirar, e encontra-se sob custódia policial.

Depois, todos os passageiros foram retirados do avião e o aparelho foi revistado pelas autoridades, que apenas deixaram que o aparelho levantasse voo com a normalidade restabelecida.

No Twitter, Niall Copeland, um outro passageiro que estava nesse avião manifestou surpresa com o que se passou.

 

Em comunicado, a EasyJet lamenta o incómodo, mas justifica a decisão.

“Embora estes casos sejam raros, encaramo-los com muita seriedade e não admitimos comportamentos abusivos ou ameaçadores nos nossos aviões”, lê-se no documento citado pelo “The Independent”. "A segurança dos passageiros e da tripulação é sempre a nossa prioridade", acrescenta o comunicado.