As autoridades israelitas demoliram esta terça-feira abrigos financiados pela União Europeia perto de Jerusalém, na área palestiniana ocupada e anexada por Israel, denunciou a UE.

As demolições foram confirmadas pela autoridade israelita da natureza e dos parques, que iniciou o processo e segundo a qual estes abrigos violavam a lei, dado estarem construídos dentro de um parque nacional.

Em comunicado, a UE condenou «a demolição de hoje dos abrigos temporários financiados pela União Europeia», recordando que apelou «repetidamente ao governo israelita para que pusesse fim às demolições».

Em causam estão 200 abrigos prefabricados, que foram instalados com a ajuda de fundos europeus em aldeias habitadas por beduínos na Cisjordânia, nos arredores de Jerusalém, tendo sido já demolidos a bulldozer algumas das pequenas estruturas erguidas nos arredores do bairro árabe de Issawiya.

As autoridades israelitas procedem regularmente à demolição de estruturas habitadas por beduínos na Cisjordânia, o que tem levado ativistas a acusar Israel de querer deslocar os beduínos com o objetivo de construir colónias do lado de fora de Jerusalém Oriental.

Israel ocupou a parte oriental de Jerusalém em 1967 e anexou-a, numa decisão que a comunidade internacional nunca reconheceu, enquanto os palestinianos querem fazer do setor oriental de Jerusalém a capital do Estado a que aspiram.