Lindsey Baum estava desparecida há nove anos. Os restos mortais foram encontrados no ano passado e identificados na última semana. A família da menina e a polícia tinham  ainda esperança no regresso da criança a casa. 

Eu estou aqui para partilhar que trouxemos Lindsey para casa. Infelizmente, ela não está como nós e a família esperávamos e rezámos nestes nove anos.", disse o xérife de Grays Harbor na conferência de imprensa, Rick Scott. 

A criança norte-americana tinha 10 anos quando foi vista pela última vez, a quatro quarteirões de sua casa, no estado de Washington, nos Estados Unidos. A mãe anunciou o desaparecimento da filha ainda naquela noite e em conjunto com a família disseram, com certeza, que a criança não tinha fugido. 

A procura que já durava há dez anos continua, mas pelo responsável pela morte de Lindsey Baum. 

Há alguém que anda por aí que sabe quem fez e como, e pessoas que até têm informações que nós precisamos para continuar esta investigação que culminará na prisão." "Nós precisamos que essas pessoas tenham coragem de se chegar à frente e que partilhem a informação, que até pode ser anonimamente, através de uma mensagem, como preferirem.", disse Scott, citado pelo The Washington Post

Scott recusou-se a partilhar a localização onde os restos mortais foram encontrados. E também se recusou a responder sobre o que levou os investigadores a acreditar que ela tinha sido morta. 

O xerife do condado de Kittitas , a cerca 150 km de McCleary, disse, que os restos foram encontrados perto de ravinas. 

De acordo com a investigação, Lindsey Baum foi raptada depois de ter saído de casa da amiga, no caminho de regresso. 

Certamente, que as rezas e as esperanças da família era o que nos fazia acreditar que a íamos encontrar [Lindsey] viva e trazê-la para casa. Agora, a realidade é que precisamos de encontrar o suspeito de homícidio", disse Scott. 

A investigação que começou há nove anos, tem agora uma outra dificuldade.

Vamos trazer o monstro responsável por isso", prometeu Scott.