Investigadores da Universidade do Sudeste da Dinamarca sintetizaram um material cristalino capaz de armazenar grandes quantidades de oxigénio, absorvida a partir do espaço físico.

Como descreve o «Independent», «ser capaz de respirar debaixo de água sempre fascinou o homem, mas as botijas de oxigénio e as mascaras necessárias tiram-lhe alguma magia». A descoberta dinamarquesa pode ser uma luz ao fundo do túnel para os amantes do mergulho.

Chamam-lhe «aquaman crystal» e, segundo a mesma fonte, «uma só colher deste cristal é capaz de absorver todo o oxigénio de um quarto».

O professor Christine McKenzie disse que o cristal pode ser valioso para doentes oncológicos e crónicos com doenças pulmonares, uma vez que pode dispensar as pesadas botijas de oxigénio. Por outro lado, também os nadadores podem sentir-se mais leves na sua prática de mergulho através da aquisição de «filtros concentrados de oxigénio do ar circundante ou da água».

«Quando o material está cheio de oxigénio pode ser comparado a uma botija. A grande diferença entre eles é que estes cristais podem armazenar três vezes mais oxigénio», disse o investigador.

O cristal «aquaman» é um cobalto esponjoso retirado de uma molécula orgânica e cujo nome foi inspirado numa personagem de banda desenhada que tem a capacidade de andar debaixo de água.