As escavações arqueológicas resultam, não raras vezes, em descobertas preciosas e esta é uma delas. No Palácio de Verão, em Pequim, onde foi o jardim real da Dinastia Qing (1644-1911), foram encontrados 50.000 objetos. Entre eles, até uma cabeça de elefante banhada... em ouro.

O jornal oficial Global Times conta a história esta terça-feira. Os responsáveis do Palácio de Verão anunciaram, em comunicado, que encontraram ainda peixes de bronze, jade e porcelana chinesa, entre outros objetos.

Uma equipa de quase uma centena de pessoas da Universidade Tsinghua, no norte de Pequim, foi encarregada de restaurar o aspeto original de 60% dos objetos encontrados, graças ao uso de uma técnica de realidade virtual e de mais de 10.000 documentos históricos.

A escavação foi iniciada em 2013 e será concluída só em 2020. É a maior do parque de Yuanmingyuan, numa área de 7.000 metros quadrados.  

Todas as relíquias serão exibidas no parque até outubro. É o que promete o Palácio de Verão.

O projeto arqueológico em causa visa a construção de uma plataforma visível e tridimensional para conquistas arqueológicas, tendo ainda como objetivo proteger vestígios do passado.