Um homem de raça negra foi encontrado morto, esta quinta-feira, pendurado numa árvore em Port Gibson, no Mississípi, nos Estados Unidos. O FBI e as autoridades locais estão a investigar a causa da morte, mas o corpo tinhas sinais que podem ter sido causados por um linchamento público. 

Os funcionários da Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor, NAACP, foram os primeiros a encontrar o corpo e ainda não confirmaram a identidade da vítima. Contudo, as autoridades locais pensam pertencer a Otis James Byrd, um homem de 54 anos que estava desaparecido desde 2 de março, depois de um amigo o ter deixado num casino em Vicksburg, a mais de 180 metros da casa onde vivia.

«Neste momento não sabemos nada. Tudo o que posso dizer é o que já vos disse: está em investigação», declarou o porta voz do Departamento de Vida Selvagem, Pescas e Parques do Mississípi, Jim Walker Mallet.


O porta voz acrescentou ainda que o corpo tinha sinais de deterioração, pelo que acredita que o corpo estava pendurado há pelo menos um dia.

Johnie Baker, de 87 anos, dono do terreno onde o homem foi encontrado, refere que a área coberta de árvores é também uma zona de caça devido à existência de javalis.

De acordo com o Departamento de Correção do Mississípi, a vítima esteve presa durante 25 anos pelo assassinato de Lucille Trim, a quem alegadamente também terá roubado 101 dólares, cerca de 94 euros. Foi condenado em fevereiro de 1980 e estava em liberdade condicional desde novembro de 2006.

As autoridades locais estão a cooperar com o FBI para descobrirem a causa da morte e a NAACP já enviou uma petição ao Departamento de Justiça dos EUA para também colaborarem na operação.