Os pais de um homem que desapareceu há seis anos no Reino Unido, e foi recentemente encontrado são e salvo em Espanha, dizem-se aliviados por o filho estar vivo, mas também frustrados por as autoridades não lhes dizerem onde ele está. Jim e Pauline Green estão impedidos de contactar com o filho, Matthew Green, por causa de leis de proteção de dados.

De acordo com o jornal britânico Independent, em abril de 2010, na altura com 26 anos, Matthew Green, natural de Kent, disse aos pais que ia visitar amigos a Londres. O jovem levou com ele o passaporte, a certidão de nascimento e a carta de condução, assim como o cartão multibanco e cerca de 1700 libras em dinheiro (cerca de 2.171 euros).

Agora, com 32 anos, Matthew Green chamou a atenção das autoridades espanholas ao “agir de forma estranha", conta a mãe no Facebook, e foi colocado ao cuidado dos serviços sociais para avaliação.

Os pais foram informados pelas autoridades que o filho foi encontrado em Espanha. A  informação foi corroborada por uma correspondência de impressões digitais em 99,9 por cento. A polícia de Kent deu, por isso, o caso do desaparecimento por encerrado.

A mãe de Matthew, Pauline Green, fez um apelo no Facebook para que os internautas partilhem informações e entrem em contacto com ela, caso a possam ajudar a entrar em contacto com o filho.

"Pedi uma fotografia dele, mas devido à Proteção de Dados não estou autorizada!! Pedi uma foto das tatuagens dele para ter 100% de certeza de que é ele, mas mais uma vez aquela coisa chamada Proteção de Dados está no meio do caminho”, afirmou.

E acrescentou: “Não estamos nem perto de o ver, falar com ele ou qualquer outra coisa, devido aos seus direitos humanos e à proteção de dados”.

“Escrevi-lhe uma carta que enviei por email para a Embaixada / Consulado [da Grã-Bretanha] em Madrid, mas eles não me vão dizer se Matt recebeu a minha carta”, lamentou.