Uma senadora australiana, de ascendência britânica, vai tornar-se na nona deputada a deixar o Parlamento devido a uma interdição constitucional à dupla cidadania que ameaça fazer cair o Governo, foi anunciado esta quarta-feira.

Skye Kakoschke-Moore, que é membro do partido minoritário Nick Xenophon Team, afirmou que descobriu ser britânica quando reunia documentos nas vésperas de terminar o prazo, em dezembro, para os senadores australianos providenciarem provas de que não herdaram cidadania de pais ou avós imigrantes.

Skye Kakoschke-Moore, de 31 anos, vai renunciar ao cargo na próxima semana quando o Senado voltar ao trabalho.

A coligação governamental conservadora também arrisca perder dois assentos na Câmara dos Representantes nas eleições intercalares no próximo mês por causa da cidadania herdada.

Esta interdição constitucional existe há mais de um século no país e impede cidadãos com dupla nacionalidade de ocuparem um lugar no Parlamento australiano.

No final de outubro, o vice-primeiro-ministro da Austrália e líder do Partido Nacional, Barnaby Joyce, perdeu o cargo, a par com quatro senadores, na sequência de uma decisão judicial que ratificou a proibição aos políticos de terem dupla nacionalidade.