Um iraniano refugiado na Suécia que enfrenta agora a deportação recebeu um indulto adicional, depois de os passageiros do voo para o Irão se terem recusado a colocar os cintos, impedindo o avião de decolar.

O curdo Ghader Ghalamere fugiu do Irão há vários anos, temendo perseguição. Fugiu para a Suécia, onde casou e tem agora dois filhos. Cumpre todos os requisitos para pedir asilo, mas é obrigado a pedi-lo a partir de fora da Suécia. Por estar ilegal no país foi deportado.

Amigos e familiares de Ghader reuniram-se com outros passageiros na sala de embarque e explicaram-lhes o caso. A bordo do avião, os outros passageiros assumiram uma forma de protesto peculiar: recusaram-se a apertar os cintos de segurança, impedindo os avião de decolar.

Sem capacidade de levantar voo, os tripulantes foram obrigados a retirar Ghader do avião. Ele está agora num centro de detenção para imigrantes ilegais em Gävle, no centro da Suécia.

De acordo com o jornal britânico «The Independent», as autoridades insistem que a situação não mudou e ele deve ser deportado. Grupos de apoio aos refugiados têm esperança de conseguir mudar a situação e de impedir que os dois filhos de Ghader fiquem privados da presença do pai.