Milhares de pessoas assinaram esta segunda-feira uma petição lançada pela mãe de um menino filipino autista que pede ao Governo australiano que não o deporte do país.

Tyrone Sevilla, de dez anos, chegou legalmente à Austrália em 2007 com a mãe, Maria Sevilla, quando tinha dois anos.


Entretanto, o menino foi diagnosticado com autismo em 2008, uma condição que o Tribunal de Revisão de Migração disse representar um «custo significativo» para a comunidade australiana, rejeitando assim a extensão do visto da família, relatou a mãe à cadeia ABC.

O governo já confirmou que o menino “não preenche os requisitos legais” para permanecer no país, mas a questão não é consensual mesmo no seio do executivo de Abbott, como se pode ler numa carta do ministério da Saúde ao ministério da Imigração. 
 


“Perante os meus olhos e no meu coração ele é perfeito”, disse a mãe em entrevista ao “News.com.au”

 
A mãe foi notificada da decisão do tribunal de imigração a 30 de março. O tempo está a chegar ao fim. A decisão dava apenas 28 dias à família para convencer as autoridades do contrário.

Tyrone “não escolheu ser autista”, argumentou a mãe que, com grande sacrifício, reiniciou a vida com o filho e até concluiu os estudos e é hoje enfermeira num hospital de Queensland.

Maria Sevilla promete lutar até fim para evitar a deportação para as Filipinas e, para isso, conta com a ajuda dos australianos.