Os ministros da Justiça e dos Assuntos Europeus de França, François Bayrou e Marielle de Sarnez, anunciaram hoje a demissão dos seus cargos, precisamente um dia depois de a ministra da Defesa, Sylvie Goulard, ter também anunciado a saída.

François Bayrou, que estava a preparar um projeto de lei para reformar a política, mas cujo partido é alvo de uma investigação, renunciou para evitar comprometer o novo Governo do Presidente Emmanuel Macron, de acordo com os media franceses.

"Tomei a decisão de não fazer parte do próximo Governo", disse hoje à AFP François Bayrou, assegurando que esta decisão não lhe foi imposta.

Ontem, foi a vez da ministra da Defesa francesa, Sylvie Goulard. Demitiu-se alegadamente para poder "demonstrar livremente" a sua "boa-fé" num inquérito, em curso, sobre suspeitas de alegados casos de criação de empregos fictícios.

O inquérito está a ser feito ao partido MoDem, a que pertence, sobre eventuais empregos fictícios para funções de assistentes no Parlamento Europeu (PE).

Na segunda-feira, o Eliseu anunciou uma "remodelação técnica" no Governo após as eleições legislativas de domingo, que deram uma maioria clara ao partido do Presidente Emmanuel Macron.

Veja também: