Numa cidade americana, o executivo paga aos criminosos que se proponham mudar de vida. Um investimento na segurança.

Com pouco mais de 100 mil habitantes, a cidade de Richmond, na Califórnia, já foi considerada a sexta cidade mais violenta dos Estados Unidos, segundo uma estatística do FBI, em 2010. Dados que agora fazem parte do passado. Desde que foi criado o gabinete do bairro seguro, em 2007, a taxa de crimes violentos tem vindo a cair. "Desde então, a taxa de homicídios caiu 75%", disse DeVone Boggan, responsável pelo projeto independente, mas que atua em colaboração com a polícia. 

A chamada de Operação Peacemaker (fazer a paz, numa tradução livre), é um programa que dura 18 meses. Os visados são jovens que cometeram delitos e crimes, com idade até aos 30 anos. Os jovens são convidados a participar neste programa, em que estabelecem metas e são recompensados pela conquista desses objetivos. Ao fim de seis meses de frequência, os utentes começam a receber uma quantia que pode chegar aos mil dólares (mais de 800 euros).

“Eles são recompensados não pelo aspeto criminal de suas vidas, mas sim pelo trabalho duro de tentar melhorar suas vidas", explicou DeVone Boggan.

Embora o recurso a esta metodologia receba alguma contestação, os resultados estão à vista, e já foram seguidos por outras cidades norte-americanas.

"Alguns conseguem emprego, alguns foram para a faculdade, mas o importante é que a maioria não vai mais usar armas como maneira de resolver um conflito. É assim que medimos nosso sucesso", disse Boggan.