Luís Amado disse hoje que a entrada da Guiné Equatorial na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa é uma decisão que cabe aos chefes de Estado e de Governo da organização. O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros respondia a um pedido de esclarecimento do público em Timor Leste, relata a Lusa, na sessão de perguntas e respostas de uma conferência que proferiu hoje em Díli dedicada ao tema «A CPLP no Contexto Internacional: Desafios e Oportunidades».

«É uma decisão que cabe aos chefes de Estado e do Governo no âmbito dos compromissos que foram sendo assumidos ao longo da última década em relação à Guiné Equatorial», afirmou o antigo ministro, atualmente administrador do banco português BANIF.