O homem britânico que alegadamente aparece nos vídeos afetos ao Estado Islâmico em que surgem as decapitações de cidadãos ocidentais já terá sido identificado. Conhecido pelo apelido de «Jihadi  John», o extremista chamou a atenção das autoridades por se comunicar, nas gravações, com um sotaque britânico. Os serviços secretos britânicos identificam-no agora como Mohammed Emwazi, refere a BBC News.

Emwazi apareceu pela primeira vez num vídeo em agosto de 2014, em que alegadamente surge como o responsável pela decapitação do jornalista americano, James Foley. Suspeita-se também da sua presença nos vídeos que mostram as decapitações de Steven Sotloff, David Haines, Alan Henning, Abdul-Rahman Kassig e do japonês Kenji Goto.


«Jihadi John» decapitou Steven Sotloff (Reprodução/YouTube)

Mohammed Emwazi nasceu no Kuwait, mas vivia num bairro de classe média da região oeste de Londres. Amigos, citados pela BBC, afirmam que Emwazi tem à volta de 27 anos e é um programador formado pela Universidade de Westminster.

Mohammed Emwazi já era conhecido das autoridades britânicas, que mantinham o nome em segredo para não atrapalhar nas investigações. O homem terá viajado para a Somália em 2006 e tem alegadamente ligações ao grupo extremista somali al Shabab, responsável por inúmeros ataques. Mohammed Emwazi viajou também para a Síria em 2012, após uma passagem pelo Kuwait.