Um médico britânico conseguiu comandar uma operação de reconstrução de um maxilar na Síria a partir de Londres, a mais de 4000 quilómetros de distância, através do programa Skype – que permite realizar videochamadas através da internet.

David Nott auxiliou um conjunto de cirurgiões sírios que ele próprio treinou, enquanto esteve na Síria, a realizar a operação que os médicos nunca haviam realizado sozinhos.

O paciente, identificado apenas como Mouhammad, precisava da reconstrução depois de ter sido gravemente ferido por uma bomba em Alepo.

Isto é uma das coisas mais entusiasmantes que já fiz. Ser capaz de comandar cirurgiões, estes rapazes que treinei quando estive na Síria, e em conjunto sermos capazes de fazer esta operação”, disse Nott à BBC.

Um dos cirurgiões que realizou o procedimento agradeceu ao médico britânico a ajuda e os ensinamentos que vão permitir salvar mais vidas.

Estamos muito agradecidos ao doutor Nott, esta era uma operação muito complicada. Não podíamos tê-la feito sozinhos, precisávamos de ajuda”.

Em entrevista à cadeia britânica, David Nott destacou a coragem destes homens e a todos os médicos que exercem a profissão na Síria, onde mais de 700 já foram mortos.

754 médicos foram mortos no norte da Síria desde 2011. Ser médico, ou mesmo paciente, [é difícil] porque um hospital é o pior sítio onde podes estar, porque são alvos constantes [de bombardeamentos], tal como são os médicos.”