O mágico David Copperfield foi ilibado das acusações de um espectador, que diz ter-se lesionado num espetáculo do mágico em 2013, quando participou no famoso truque 13. 

O queixoso, Gavin Cox, entrou com um processo em tribunal com uma queixa por negligência, alegando que gastou mais de 400 000 dólares (cerca de 345 640 euros) em despesas médicas.

O tribunal de Nevada, Estados Unidos, afirma que Gavin Cox provocou os próprios ferimentos durante o espetáculo em Las Vegas, em 2013, não tendo direito a qualquer tipo de indeminização. 

Durante as audiências, Copperfield explicou como se processa o truque, referindo que depois das cortinas descerem, os participantes do truque são apressados por passagens que os levam para fora do auditório de Las Vegas MGM para que voltem a entrar. 

O britânico afirma que caiu enquanto atravessava uma das passagens, sendo levado para o hospital com um ombro deslocado.

Depois de ter sido acusado de negligência, o tribunal considerou que o mágico David Copperfield não pode ser financeiramente responsável pelas lesões do participante britânico no truque "Lucky#13", avança a BBC. 

O resort de Las Vegas, MGM e a empresa de Copperfield foram também acusados de negligência, mas não foram também ilibados.