O Reino Unido vai tomar medidas adicionais de segurança para responder à crise de migrantes no túnel do Canal da Macha. Esta sexta-feira, os ministros britânicos encontraram-se numa reunião de emergência para debater esta questão. No fim, David Cameron afirmou que se trata de uma "situação inaceitável" e que o governo não descarta nenhuma ação que permita travar o problema.

“A situação é inaceitável e é prioridade absoluta deste governo lidar com ela, de todas as formas que conseguirmos.”


Cameron anunciou que vai colocar mais cães farejadores e mais vedações no túnel. Os animais vão ser utilizados para detetar as aproximações que forem feitas em Coquelles e ainda no porto de Calais.

O primeiro-ministro do Reino Unido anunciou ainda que o terreno que pertence ao ministério da Defesa vai funcionar como parque de estacionamento para camiões, de forma a aliviar o congestionamento rodoviário que se tem verificado em Dover. Isto porque a crise de migrantes tem causado atrasos nos serviços de ferry e filas de camiões que se têm verificado durante horas.

"Temos pessoas a tentar entrar ilegalmente no nosso país e, aqui, camionistas e turistas enfrentam muitos atrasos."


Caso seja necessário, Cameron admitiu ainda colocar mais polícias a patrulhar o túnel.

A questão é tida como um "problema muito sério" e, por isso, uma equipa de governantes vai ser destacada para lidar com a situação. Paralelamente, as autoridades britânicas vão trabalhar em estreita cooperação com as francesas. O líder do Reino Unido adiantou também que vai conversar pessoalmente com o presidente François Hollande, ainda durante esta sexta-feira.

“Esta questão vai-se tornar difícil durante o verão. Teremos uma equipa de ministros que vão estar a lidar com ela. Vamos tomar ações com a ajuda das autoridades franceses."


A crise no Eurotúnel já está a afetar os camionistas portugueses. Doze migrantes foram intercetados num camião frigorífico de mercadoria português em Calais, numa tentativa de chegarem ao Reino Unido.