Os membros da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) feitos reféns em Darfur, no oeste do Sudão, «ainda não foram libertados», mas sê-lo-ão «em breve», disse um alto responsável sudanês.

«Estão de boa saúde», disse à AFP aquele responsável, que pediu para não ser identificado.

Quatro elementos dos MSF, um francês, um italiano, uma canadiana e um sudanês foram sequestrados na quarta-feira no sector de Kabkabiya, na orla entre Darfur norte e Darfur sul.

O ministro italiano dos Negócios Estrangeiros tinha anunciado na sexta-feira a libertação, sãos e salvos, dos reféns, citando fontes governamentais sudanesas, mas adiantou mais tarde que, na ausência de contactos entre a MSF e os seus membros, estava a procurar confirmar as informações.