Deputado e primeiro secretário de Estado britânico, Damian Green, de 61 anos, apresentou a demissão, face a acusações de que mentiu sobre a existência de conteúdos pornográficos encontrados no seu computador, em 2008, o que fere o código de conduta do governo britânico.

De acordo com o site da cadeia de comunicação estatal BBC, que adiantou a notícia da demissão em primeira mão, Green terá feito declarações "imprecisas e enganosas" sobre o que efetivamente sabia sobre conteúdos pornográficos encontrados no seu computador de trabalho, quando era deputado, em 2008.

Green, que foi jornalista na BBCChannel 4  e no jornal The Times, já antes fora acusado de assédio pela jornalista Kate Maltby, em 2015.

Na carta de demissão, o Damian Green pediu desculpas, segundo relata a imprensa britânica.

"Profundo pesar"

A demissão foi já confirmada pelo gabinete da primeira-ministra Theresa May, de quem Damian Green era um dos mais próximos colaboradores e apoiantes .

É com profundo pesar e com gratidão pelo seu contributo durante muitos anos que lhe pedi que se demitisse do Governo e aceitei a sua demissão”, escreveu Theresa May numa carta endereçada a Damian Green.

Contudo, a agência noticiosa Reuters refere que terá sido a primeira-ministra a convidar Green a apresentar a demissão.

Damian Green começou a ser investigado após as denúncias de assédio sexual feitas pela jornalista e escritora  Kate Maltby.

O relatório sobre Green concluiram que teria mentido sobre o material pornográfico encontrado no seu computador em 2008, além de considerara que as acusações da escritora eram “plausíveis”.