A Rússia acusou esta quarta-feira de parcialidade os inspetores da ONU que realizaram um inquérito sobre um ataque químico na Síria e afirmou ter recebido de Damasco elementos, material probatório, que reforçam a tese de uma provocação dos rebeldes.

«Estamos desiludidos, é o mínimo que podemos dizer, com a abordagem do secretariado da ONU e dos inspetores da ONU que se deslocaram à Síria, que prepararam o seu relatório de forma seletiva e incompleta, sem terem em conta os elementos que tínhamos assinalado várias vezes», declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Riabkov, citado pelas agências desde Damasco.

«Sem um quadro completo do que se passa aqui, não podemos considerar as conclusões dos inspetores da ONU senão como conclusões politizadas, parciais e unilaterais», declarou.