A Malásia deteve cinco homens por suspeita de envolvimento em atos terroristas, incluindo três ligados ao grupo extremista Estado Islâmico (EI), informou hoje a polícia.

Os três suspeitos com ligações ao EI foram detidos nos estados de Selangor, Kelantan e Johor, acreditando-se que pertencem a uma pequena célula encabeçada por um homem de 31 anos da Indonésia.

A polícia da Malásia indicou que o líder da rede prometeu lealdade ao líder do EI, Abu Bakar al-Baghdadi, através do Facebook no ano passado, e que mantinha contacto com vários malaios que se juntaram ao movimento extremista na Síria.
 

Célula do grupo na Tailândia


Já a Polícia da Tailândia afirmou hoje que conta com informações de que uma célula composta por dez membros do grupo extremista Estado Islâmico (EI) se encontra desde outubro no país com o objetivo de atentar contra cidadãos russos.

A advertência consta de uma nota distribuída aos meios de comunicação social, em que a polícia tailandesa detalha que os serviços de informação de Moscovo informaram as autoridades locais para a presumível chegada de ‘jihadistas’.

O movimento extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou ter colocado uma bomba no avião russo que se despenhou em outubro, com 224 pessoas a bordo, no Sinai, depois de Moscovo ter iniciado ataques aéreos na Síria no mês anterior.