A artista luxemburguesa Deborah de Robertis foi detida, no último sábado à tarde, por posar nua no Museu d’Orsay, em Paris. Deborah de Robertis, conhecida pelas suas performances provocadoras de caris sexual, tentou reproduzir a cena retratada no quadro Olympia, de Manet.
 
O quadro está inserido numa exposição temporária do museu intitulada “Esplendor e miséria, imagens da prostituição 1850-1910” (tradução livre do francês). Manet retrata uma prostituta nua, deitada num divã, acompanhada de uma mulher negra, que lhe oferece um ramo de flores.
 
O museu não gostou da performance e os seguranças fecharam a sala e pediram-lhe que se vestisse. Perante a recusa da artista, chamaram as autoridades. Deborah de Robertis foi detida por exibição sexual. Deve conhecer hoje os próximos passos judiciais que se seguem.
 
O advogado da artista argumenta que “é um perigo” calar assim a arte. “Ela tinha uma câmara portátil para registar a reação do público. Tratava-se de uma performance artística”, sublinhou o advogado.
 
Não era a primeira vez que Deborah exibia a performance. Na sua página do Facebook, num post datado de 25 de dezembro, a artista já tem uma imagem da instalação artística, sem qualquer comentário e sem especificar o local onde a imagem foi captada.
 
Também não era a primeira vez que Deborah de Robertis provoca polémica no Museu d’Orsay. Em maio de 2014, ela expôs a vagina diante do quadro A Origem do Mundo, de Gustave Courbet.