Pelo menos 17 pessoas morreram de dezenas ficaram feridas num duplo atentado contra uma concentração de curdos na cidade síria de Al Hasaka, quando celebravam a festa de Noruz, disse à Efe um porta-voz militar curdo sírio.

Em declarações através da Internet, o porta-voz da Unidade de Proteção do Povo (milícias curdas sírias), Ridor Jalil, sublinhou que entre as vítimas há menores e mulheres.

Jalil acrescentou que as investigações já se iniciaram e indicam que um carro bomba explodiu no meio da multidão que celebrava Noruz (chegada da primavera), desconhecendo-se se havia alguém a bordo.

De seguida, explodiu outro engenho no mesmo sítio, adiantou Jalil, que no início tinha falado de dois terroristas suicidas que se deslocavam em bicicletas bomba.

O Observatório dos Direitos Humanos Sírio acrescentou que há 100 vítimas, entre mortos e feridos.

Segundo a versão da Organização Não-Governamental (ONG), um suicida pertencente ao grupo terrorista Estado Islâmico fez-se explodir com uma bomba que transportava no meio de um grupo de pessoas do bairro de Al Mufti, em Al Hasaka.

A segunda explosão deu-se noutra zona, adiantou o Observatório.

O Noruz é uma festa de tradição zoroástrica em que os curdos comemoram a chegada do solstício da primavera, e que no Irão marca o início do ano.

Estima-se que os curdos representem 9% dos habitantes na Síria e vivam na região de Al Yazira, em Al Hasaka, e nos enclaves de Afrin e Kobani, em Alepo