O Presidente de Cuba insistiu este sábado na necessidade de fomentar a "convivência civilizada" com os Estados Unidos para normalizar as relações bilaterais, ao discursar na abertura do Congresso do Partido Comunista Cubano.

"É longo e complexo o caminho para a normalização das relações bilaterais e avançaremos na medida em que sejamos capazes de pôr em prática a arte da convivência civilizada, (...) a necessidade de aceitar as diferenças, que são e serão numerosas e profundas"

Raul Castro falava citado pela Lusa, na abertura do VII Congresso do PCC, o primeiro após o restabelecimento das relações diplomáticas com os EUA.

Confirmou a "vontade" do país em "desenvolver um diálogo e construir um novo tipo de relação  "como nunca existiu entre os dois países", uma atitude que "só pode trazer benefícios mútuos".

Em março, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou Cuba e foi o primeiro líder norte-americano a visitar Cuba nos últimos 88 anos. Na visita histórica de três dias, declarou-se a favor das liberdades civis e da aproximação entre os dois países. O país parou para o ouvir falar.

Dias depois, o histórico líder cubano Fidel Castro, publicou um artigo de opinião onde não poupou nas críticas a Barack Obama: "Não precisamos que o Império nos dê nada".