O homem, de 22 anos, e a mulher estavam entre os 311 passageiros a bordo do voo Thomas Cook, que partiu do Aeroporto Internacional de Manchester esta semana com destino a Cuba.

Horas depois, a mulher trocou de lugar para ficar longe dele, e quando o britânico tentou chegar perto dela e foi impedido por um membro da tripulação, começaram as ameaças.

«Vou matar-te a ti e depois vou matar todos os outros», afirmou o britânico de Lancashire após ingerir uma garrafa de vodka.

Desviada a aeronave para o Aeroporto Internacional LF Wade, a polícia escoltou Kheyla para fora do avião.

Esta terça-feira foi presente a um tribunal em Hamilton, onde admitiu encontrar-se alcoolizado e ter ameaçado a tripulação.

O magistrado, Khamisi Tokunbo multou-o em dois mil dólares americanos, pouco mais de mil e seiscentos euros pelo estado de embriaguez no voo, e em mil dólares, mais de oitocentos euros, pelo seu comportamento com a tripulação.

«Não sei como me vou perdoar», nem como «ela me irá perdoar», afirmou referindo-se à esposa que já terá voltado ao Reino Unido.

O indivíduo terá regressado a Inglaterra na quarta-feira.