O incidente ocorreu em Harmica, onde os refugiados, apoiados por militantes croatas e eslovenos, pretendiam entrar na Eslovénia.

Depois de uma hora de tensão, a polícia antimotim eslovena recorreu ao gás lacrimogéneo para dispersar os refugiados, entre os quais estavam crianças, que procuraram superar um cordão policial na ponte que marca a fronteira croato-eslovena.

Prontos para receber 10 mil refugiados

 

“Quando os refugiados nos fizerem pedidos de asilo, nós vamos acolhê-los e protegê-los. Temos capacidade para isso. Poderemos acolher até 10.000”, disse Marta Kos Marko numa entrevista ao jornal regional Rheinische Post.

"Vamos agir de acordo com as regras dos acordos de Schengen e de Dublin", afirmou a embaixadora eslovena.