Bibihal Uzbeki é a refugiada que está a mostrar ao mundo que nunca é tarde para sonhar. A mulher afegã, de 105 anos, é cega e tem dificuldade em andar, mas nenhuma das adversidades a impediu de concretizar o seu maior desejo: chegar com a família sã e segura à Europa.

Bibihal pode não ser a refugiada mais velha do mundo, mas é sem dúvida um exemplo de coragem. A idosa chegou, esta terça-feira, à Croácia, depois de ter percorrido milhares de quilómetros desde o Afeganistão. Tudo porque acredita na possibilidade de uma vida melhor, mais feliz e sem guerra.

Com ela viajaram 17 membros da família, incluindo o filho, de 67 anos, e o neto de 19, que tiveram de carregá-la às costas durante grande parte do caminho. Uma travessia extenuante, que os obrigou a passar o mar e o deserto, com outros milhares de refugiados, e que durou 20 dias.
 

“As minhas pernas doem, mas estou bem. Tive problemas muitas vezes. Sofri muito. Caí e magoei-me na cabeça, onde fiquei com cicatrizes”.


Contudo, apesar das dificuldades, Bibihal recusou ser levada de ambulância até à Eslovénia, porque não queria ser separada da família. Seguiu depois, de comboio, sempre acompanhada pelos familiares, até à fronteira. O sonho é chegar à Suécia.

De acordo com a AP, as autoridades croatas verificaram os documentos de Bibihal e garantem que a mulher tem 105 anos, idade confirmada pelo neto da refugiada.

A família está entre os mais de 260.000 refugiados que passaram pela Croácia, desde o dia 15 de setembro, depois da Hungria ter fechado as fronteiras com a Sérvia.