O investigador subaquático Barry Clifford pediu colaboração internacional para escavar de forma segura os restos que afirma serem da caravela Santa Maria, de Cristóvão Colombo, e para recuperar os objetos localizados dos destroços.

«Acredito que esta é uma situação de emergência. O barco tem de ser escavado o mais cedo possível, conservado e mostrado ao mundo», afirmou Clifford, esta terça-feira, durante a conferência de imprensa em que anunciou a descoberta de um barco naufragado que, diz, é «muito provável» ser o Santa Maria, um dos três navios com que Cristóvão Colombo navegou para a América em 1492.

O explorador subaquático assegurou que o navio encontrado na costa do Haiti, a apenas seis metros de profundidade, deve ser o navio histórico e que, se tal não for verdade, não consegue «imaginar que outro barco possa ser».

«Até o momento não há registo de outro barco deste período, no século XV, naquele lugar» em que encalhou o Santa Maria, acrescentou Clifford, no Explorers Club, de Nova Iorque, de acordo com a agência Efe.

O explorador pediu uma colaboração internacional, especialmente entre Espanha e o Haiti, para «escavar cuidadosamente» o barco e poder estudá-lo, considerando «extremamente importante que haja uma cooperação entre os dois países».

Clifford alertou que a caravela naufragada «foi saqueada recentemente, já que lhe faltam uma espécie de canhão, várias rodas da carreta, elementos da estrutura do leme e peças de bronze».

«Tiveram de ser cinco ou seis pessoas a fazê-lo, num barco relativamente grande», acrescentou, sugerindo que os pescadores locais «sabem o que se passa».

Os restos de um barco naufragado encontrados ao largo da costa do Haiti podem pertencer ao Santa Maria, o navio almirante de Cristóvão Colombo na sua primeira viagem à América, avançaram na terça-feira investigadores.

O barco foi encontrado na zona onde Colombo disse que o Santa Maria encalhou há mais de 500 anos, disse explorador subaquático Barry Clifford.

Clifford acredita que a expedição que liderou para encontrar os destroços pode finalmente ter descoberto provas suficientes para comprovar a sua autenticidade.

«Todo a geografia, topografia subaquática e evidências arqueológicas sugerem fortemente que estas ruínas são do famoso barco de Colombo, o Santa Maria», disse Clifford, um investigador arqueológico marítimo que vive em Massachusetts.

«Estou confiante de que uma escavação completa do barco naufragado irá produzir a primeira evidência arqueológica marinha detalhada da descoberta da América», afirmou terça-feira em comunicado.

Barry Clifford, de 68 anos, é conhecido por ter descoberto e escavado os primeiros restos completamente verificados do naufrágio de um barco pirata, em 1984.