A crise económica travou o combate à fome, que se estima afetar 795 milhões de pessoas, segundo um relatório anual da ONU divulgado esta quarta-feira, e que registou uma redução em números globais.

De acordo com a última edição do relatório da ONU "O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2015", estima-se que caiu para 795 milhões o número de pessoas com fome no mundo, menos 10 milhões do que no ano passado e menos 167 milhões do que na década passada.

A situação melhorou nas regiões em desenvolvimento, onde a taxa de desnutrição - que mede a proporção de pessoas incapazes de consumir alimentos suficientes para uma vida ativa e saudável - diminuiu para 12,9% da população, contra 23,3% há 25 anos atrás.