Pelo menos duas pessoas morreram e outra ficou ferida, esta noite, na sequência de um tiroteio envolvendo nacionalistas radicais e militantes pró-russos, na cidade de Kharkiv, no leste da Ucrânia, informaram hoje as autoridades locais.

«Tratou-se de uma provocação muito bem planeada», afirmou o chefe da administração regional de Kharkiv, Igor Baluta, em declarações à agência Interfax-Ukraine.

Segundo indicou o mesmo responsável, o tiroteio ocorreu depois de um pequeno autocarro, que era procurado pela polícia, ter irrompido numa das praças onde decorria um protesto de pró-russos e dos seus ocupantes terem lançado petardos contra os manifestantes.

Vice-presidente dos EUA viaja para Polónia e Lituânia

O vice-presidente dos EUA vai viajar para a Polónia e Lituânia, na próxima semana, para discutir com os aliados na região a crise provocada pela intervenção militar russa na península ucraniana da Crimeia, anunciou, na sexta-feira, a Casa Branca.

Joe Biden chegará a região na segunda-feira, dia 17, um dia depois de a república autónoma da Crimeia celebrar o polémico referendo sobre a sua união à Rússia.

O referendo não goza do reconhecimento nem dos Estados Unidos nem dos seus aliados europeus, os quais advertiram a Rússia para a aplicação de sanções no caso de anexar a Crimeia.

50 mil nas ruas de Moscovo

Cinquenta mil pessoas manifestaram-se esta manhã nas ruas de Moscovo contra a ocupação da Crimeia. Este protesto acontece um dia antes do referendo que pode determinar a separação da região do resto da Ucrânia.

Os manifestantes exigiram a saída de tropas russas da região e o fim das políticas do Kremlin que coloquem em risco uma guerra com a Ucrânia.

Mas em Moscovo também saíram à rua vários milhares de pessoas em apoio ao referendo na Crimeia, defendendo que a república autónoma deve ser integrada na federação russa.