A polícia alemã divulgou, esta terça-feira, as fotografias de cinco dos suspeitos de terem cometido crimes sexuais contra mulheres e roubos na noite da passagem de ano em Colónia.

As imagens foram recolhidas através de câmaras de vigilância e por testemunhas que fizeram queixas na polícia. As autoridades pedem aos cidadãos que reconheçam os suspeitos que contactem a polícia para proceder à sua identificação.

A noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro ficou marcada por mais de 1.100 denúncias de crimes desta natureza naquela cidade, sendo que a maioria das vítimas descrevia os seus atacantes como descendentes de norte-africanos ou árabes. Descrições essas que levantaram desde logo suspeitas do envolvimento de refugiados e migrantes recém-chegados à Alemanha na vaga migratória de milhares de pessoas para a Europa.

Cerca de 40% das queixas estavam relacionadas com crimes de natureza sexual, desde assédios a violações.

No mês passado, no entanto, foi confirmado que apenas três dos 58 detidos por envolvimento nos ataques realizados contra mulheres são refugiados. As autoridades concluíram que a maioria dos atacantes são indivíduos da Argélia, da Tunísia e de Marrocos que já vivem no país há vários anos.

O procurador Ulrich Bremer revelou ao jornal Die Welt que os três detidos são dois sírios e um iraquiano.

No final de fevereiro, um jovem marroquino foi condenado a seis meses de prisão com pena suspensa por roubo, a primeira decisão da justiça alemã após os incidentes daquela noite.