O nascimento de duas crias de panda foi motivo de celebração no zoo de Schoenbrunn, na Áustria. Uma fêmea de 16 anos conseguiu dar à luz dois pandas que se juntam a uma espécie em perigo de extinção.

Com cerca de 15 centímetros, cor-de-rosas e sem pelo, as crias nasceram a 7 de agosto, segundo um comunicado emitido pelo zoo.  

Inicialmente, os criadores pensavam que a mãe Yang Yang só tinha dado à luz uma cria, pois o parto foi realizado num espaço escuro, apenas controlado por câmaras. Os funcionários não puderam entrar no local para que o animal não se exaltasse.

Mais de uma semana depois, os tratadores dos pandas aperceberam-se da existência de uma segunda cria, que tinha sido encoberta pela mãe que a tentava aquecer.

Raramente os vemos, porque Yang Yang está constantemente a aquecê-los entre as suas patas… pode-se ouvir claramente os ruídos quando a mãe os alimenta e lambe”, disse a zoóloga Eveline Dungl, citada pelo comunicado.

Segundo a tradição chinesa, o nome das crias só será escolhido depois de completarem 100 dias de vida, pois 50% dos pandas recém-nascidos não conseguem sobreviver, segundo explicou a zoóloga.

As fêmeas de panda só estão férteis alguns dias por ano, sendo difícil engravidarem sem recurso a inseminação artificial. Contudo, Yang Yang, com 16 anos, já tinha sido mãe de forma natural em 2007, 2010 e 2013.