Uma equipa de investigadores britânicos concluiu que bullying repetitivo de irmãos durante a infância aumenta o risco de depressão na vida adulta.

Os investigadores entrevistaram cerca de sete mil crianças de 12 anos sobre o relacionamento com os irmãos e se já tinha sido agredidos ou ofendidos por eles. Acompanharam essas sete mil crianças até aos 18 anos, altura em que foram avaliadas sobre a sua saúde mental.

De acordo com a BBC, a maioria das crianças afirmou não ter sido vítima de bullying. Desse total, aos 18 anos, 6,4% tinha algum tipo de depressão, 9,3% sofria ansiedade e 7,6% já tinham-se automutilado no ano anterior à pesquisa.

No grupo de crianças que afirmaram ter sofrido bullying por parte dos irmãos, a incidência de problemas depressivos era o dobro da do grupo anterior. Mais de 12% tinham algum tipo de depressão, 14% tinham-se automutilado e 16% diziam sofrer de ansiedade.

As meninas tinham maior propensão a ser vítimas de bullying do que os meninos, sobretudo em famílias onde havia três ou mais crianças. Ainda de acordo com a investigação, os irmãos mais velhos normalmente eram os culpados pelos episódios de bullying.