Um tribunal dos EUA já tinha obrigado a Argentina a pagar aos seus credores, mas Buenos Aires fez ouvidos moucos, por considerar essa decisão « interferência ilegítima». Ora, esta segunda-feira, um juíz norte-americano volta à carga, dizendo que o país liderado por Cristina Kirchner  agiu ilegalmente e desobedeceu ao tribunal.

A Argentina está envolvida numa batalha jurídica com fundos especulativos que recusaram as reestruturações da dívida propostas pelo governo de Buenos Aires e foi condenada pela justiça norte-americana a pagar 1,3 mil milhões de dólares (cerca de mil milhões de euros) a esses fundos, lembra a Lusa. Mas recusa-se a fazê-lo.

Thomas Griesa, o juíz responsável pelo litígio, tinha decidido anteriormente bloquear quaisquer pagamentos da dívida soberana da Argentina até ser cumprida a decisão.

Voltou a condenar hoje o país sul-americano por desobediência ao tribunal, admitindo impor sanções.