A operação policial levada a cabo esta quinta-feira em Courtrai, na Bélgica, relacionada com o recente projeto de atentado frustrado em França, terminou a meio da tarde sem qualquer detenção, anunciou a procuradoria federal.

Em comunicado, o Ministério Público belga confirmou que uma operação conduzida por uma equipa comum de inquérito franco-belga teve lugar nas proximidades de Courtrai, na região da Flandres, já muito perto da França, no quadro do inquérito em torno de Reda Kriket, principal suspeito de um projeto de atentado frustrado em França, anunciou esta quinta-feira a procuradoria federal belga.

Em declarações à AFP, um porta-voz da procuradoria indicou que da operação não resultou "qualquer detenção", nem foram encontrados "nem explosivos, nem armas".


Attentat déjoué en France: opération policière à Courtrai

De acordo com vários órgãos de comunicação social belgas, polícias federais e militares estiveram envolvidos na operação que decorreu no bairro residencial de Rodenburg, ao longo da auto-estrada E17, no sul da cidade flamenga de Courtrai (Kortrijk, em neerlandês), na região da Flandres, muito perto da fronteira com a França.

A RTBF noticiou que foi organizada uma batida de terreno nos bosques da zona, incluindo o uso de detetores de metal, integrada por soldados e polícias de cara tapada. 

 

Na quarta-feira, o alegado jihadista Reda Kriket, um francês de 34 anos, principal suspeito na investigação de um projeto de atentado frustrado em França, foi formalmente acusado de associação de malfeitores, por ligação a uma organização terrorista criminosa, depois de ter sido detido há uma semana em Argenteuil, perto de Paris.

Num apartamento ocupado por Kriket em Argenteuil, na periferia parisiense, a polícia encontrou espingardas de assalto, pistolas e explosivos, incluindo TATP, o explosivo artesanal de eleição dos jihadistas do Estado Islâmico. É também suspeito de ter pertencido às fileiras do grupo jiadista na Síria.

 

Este caso é distinto da investigação sobre os atentados de Paris e Bruxelas, embora tenham sido estabelecidas algumas ligações entre os protagonistas. Um outro suspeito, Anis B., que se crê ter sido mandatado pelo Estado Islâmico para cometer um atentado em França com Reda Kriket, foi detido no domingo em Roterdão, na Holanda, e é alvo de um mandado de prisão europeu emitido por juízes franceses.