A polícia italiana confirmou esta segunda-feira a detenção de 11 pessoas alegadamente pertencentes à “Cosa Nostra” e próximas de Matteo Messina Denaro, considerado o chefe dos chefes da máfia siciliana, que é procurado há mais de 20 anos.

As detenções foram levadas a cabo em Palermo e Trapani.

Fonte da polícia de Palermo explicou à agência Efe que todos os detidos “têm relações de parentesco ou estão ligadas e conhecem” Messina Denaro.

Em causa está uma operação destinada a “desmantelar a rede de apoio” do chefe mafioso, segundo a mesma fonte, realizando-se desde as primeiras horas do dia.

Nascido em Castelvetrano, na província de Trapani, Messina Denaro – considerado o chefe da “Cosa Nostra”, após a detenção de Bernando Provenzano em 2008 – foi condenado à prisão perpétua pelos atentados perpetrados em Itália em 1993, sendo-lhe ainda atribuídos dezenas de homicídios.