O presidente da Roménia, Klaus Iohannis, considera que a posição do chefe do Governo, Victor Ponta, é insustentável e, por isso, pediu a sua demissão nesta sexta-feira.

Esta decisão drástica foi causada por uma investigação judicial que aponta o primeiro-ministro como suspeito dos crimes de falsificação de documentos, lavagem de dinheiro, evasão fiscal e conflito de interesses.

Ponta já protestou a sua inocência e garante que tudo não passa de uma campanha de difamação dos seus inimigos políticos. Por isso, recusa demitir-se e afirma que só o Parlamento tem poder para o afastar do cargo.

A Roménia mergulha assim numa crise política de desfecho incerto.

O Presidente da República, Cavaco Silva, tem uma visita oficial marcada para aquele país nos próximos dias 17 e 18 de junho.